Eletroencefalograma EEG

    O eletroencefalograma (EEG) é um exame realizado para diagnosticar doenças e distúrbios cerebrais ou do sistema nervoso central. É ferramenta essencial para diagnóstico e acompanhamento de doenças neurológicas.

    O EEG, como é conhecido, é considerado um exame não invasivo, simples, indolor, sem contraindicações e que pode ser feito em qualquer idade.

    Com as inovações tecnológicas, o exame ganhou ainda mais importância. A qualidade das informações captadas tem ajudado no diagnóstico de diversos problemas cerebrais e também contribui para a aplicação de novas técnicas terapêuticas, melhorando a qualidade de vida dos pacientes.

    O que é eletroencefalograma
    Eletroencefalograma é o teste que avalia a atividade elétrica do cérebro: pelos impulsos naturalmente gerados pelos neurônios é possível avaliar a normalidade (ou não) do ritmo e da intensidade da atividade cerebral.

    Os impulsos elétricos do cérebro são amplificados, captados e registrados por meio de eletrodos, que os enviam para o aparelho de EEG. O exame de eletroencefalograma é divido em três categorias:

    Eletroencefalograma clínico – principalmente para investigação de queixas relacionadas ao sistema nervoso central, como epilepsia e convulsões;
    Eletroencefalograma ocupacional – para trabalhadores que irão assumir atividades de risco em empresas (motoristas, pilotos de aviões, trabalhadores em altura);
    Eletroencefalograma com mapeamento cerebral (quantitativo) – inclui o processamento computadorizado dos sinais elétricos do cérebro para investigação de doenças complexas e problemas neurológicos. É mais preciso e com informações de imagem, que ‘desenham’ o local no cérebro atingido com as descargas irregulares.
    O que pode ser detectado no eletroencefalograma?
    eletroencefalograma com laudo

    As principais anormalidades procuradas quando se solicita um eletroencefalograma com laudo são às associadas à epilepsia. Além do diagnóstico destas doenças, o exame também possibilita um acompanhamento posterior, avaliando a resposta ao tratamento com diminuição dos remédios e o controle após a retirada da medicação.

    A avaliação ainda ajuda na investigação das condições neurológicas que precisam ser diferenciadas da epilepsia, na investigação de problemas na medula espinhal ou sistema nervoso no geral e de alguns distúrbios do sono, além de ser usada durante as cirurgias cerebrais ou enquanto o paciente estiver sob o efeito de anestesia.



    Algumas das doenças ou distúrbios identificados são:

    Sangramento anormal (hemorragia)
    Estrutura anormal no cérebro (como um tumor)
    Morte de algum tecido que bloqueia o fluxo cerebral (pode ser causado por AVC)
    Abuso de drogas ou álcool
    Enxaqueca e outros tipos de cefaleia
    Epilepsia
    Distúrbios do sono (como narcolepsia)
    Edema cerebral
    “Sem dúvida, as epilepsias são abordadas farmacologicamente a partir de achados eletroencefalográficos. Além disso, este exame é usado para acompanhamento em casos de coma, morte cerebral, intoxicações e outras condições metabólicas, encefalopatias, seu diagnóstico e evolução.

    Como é feito o exame

    O EEG é realizado através da colocação de eletrodos no couro cabeludo fixados por uma pasta aderente e condutora que irá captar os sinais elétricos que constituem a atividade cerebral.

    Geralmente o paciente estará acordado, sentado confortavelmente ou deitado (as posições são pré-definidas e seguem padrões internacionais). Ele deve ficar imóvel, relaxar o máximo que consiga e, se possível, durma.

    Eletroencefalograma em sono e vigília
    Inicialmente é feito um registro da atividade elétrica cerebral com o paciente acordado, mas também deve-se captar os sinais durante a sonolência e o sono – caso seja necessário, o sono será induzido com medicamentos.
    O registro em todos esses estados aumenta a possibilidade de detecção de anormalidades.

    Eletroencefalograma infantil
    Embora mais comum em adultos, o eletroencefalograma também pode ser realizado em crianças e até bebês para o monitoramento e investigação ligados, principalmente, a epilepsia e distúrbios da consciência, além de poder indicar se há atrasos no desenvolvimento psicomotor da criança.

    Vale ressaltar que o traçado do exame é diferente de acordo com a idade, por isso é importante que estes casos específicos sejam acompanhados por um pediatra ou neurologista com amplo conhecimento técnico sobre este exame.

    Quanto tempo dura um eletroencefalograma?
    O procedimento dura, em média, 30 minutos, mas pode chegar a 1 hora.eletroencefalograma com laudo

    O aparelho de EEG é o responsável por captar as atividades elétricas do cérebro e amplificá-las, elaborando um gráfico das ondulações cerebrais. O aparelho pode ser analógico ou digital.

    Se for digital, facilita a realização do eletroencefalograma quantitativo, que usa tecnologia computadorizada e imagens para desenhar um mapa do cérebro e ampliar as possibilidades de diagnóstico.

    Cuidados durante o procedimento
    O exame deve ser feito por um técnico ou enfermeiro treinado em EEG. A colocação dos eletrodos é primordial. São 23 deles, cada um com espaçamento específico do outro, e todos precisam ser colocados para a transmissão perfeita da atividade elétrica.

    Além disso, o monitoramento das condições do paciente durante o procedimento bem como o correto registro de suas atividades anteriores, são imprescindíveis para uma boa captura das atividades elétricas e, por consequência, de um laudo com qualidade.

    Antes de realizar o exame, o técnico ou enfermeiro precisa averiguar se o paciente:

    Praticou atividade física de forma excessiva;
    Ingeriu medicamentos (saber quais);
    Fez jejum antes do teste;
    Ingeriu alimentos ou bebidas com muita cafeína;
    Tem alguma infecção no couro cabeludo.
    Tudo isso pode interferir e até impedir a realização do procedimento e é de inteira responsabilidade do técnico ou enfermeiro que irá aplicar o exame buscar essas informações.

    Como otimizar o exame e agilizar diagnósticos
    Já vimos que o eletroencefalograma com laudo é um exame com uma certa complexidade. Por isso, requer cuidados e atenção da clínica com a aparelhagem e os profissionais que irão aplicá-lo.

    Para otimizar os procedimentos e dar qualidade ao atendimento, a Clínica CEM conta com aparelhos modernos de última geração e equipe especializada na realização do exame, além do laudo rápido e preciso.

    Por que fazer o seu exame na Clínica CEM? Seguem alguns motivos
    1.Equipamentos de ponta, modernos e precisos
    2. Equipe especializada na realização dos seus exames

    3. Laudos rápidos e precisos feito por neurologistas especiaizados

    4. A Clínica possui Neurologistas caso seja necessário acompanhamento especializado

btn-lg-whatsapp.png